Implantes Zigomático Voltar

Implantes Zigomático

O desavio de reabilitar uma maxila atrófica sempre foi um dos principais problemas encontrados na odontologia. Por inúmeros fatores que levam a perda dentaria; os resultados são a falta de disponibilidade óssea, tanto no sentido quantitativo como no sentido qualitativo, a falta de espaço protético adequado, bem como a indisposição de paciente por realizar uma cirurgia de enxerto ósseo, autógeno ou alógeno, e aguardar todo um período mínimo de tempo necessário para todo o processo biológico que segue a uma cirurgia desse porte.
Assim, o uso de implantes em áreas alternativas seria uma solução plausível na reabilitação de maxilas atróficas.
Essa possibilidade se faz real devido ao fato que os mesmos serão instalados em áreas anatômicas, com qualidade e quantidade óssea, que suportam a forca gerada na carga oclusal que será dissipada nessas estruturas anatômicas através dos implantes nelas instaladas.
Uma área anatômica muito difundida com grande índice de sucesso é o processo maxilar do osso zigomático.
Ambas possuem um suporte de osso cortical capaz de receber implantes que serão submetidos a carga imediata, devido a suas peculiaridades anatômicas ósseas que não sofrem influencia da perda dentaria precoce.